No Banner to display

Notícias
NECROTÉRIO: Entrevista exclusiva com o guitarrista e fundador Marcos Lima
Necrotério: Emerson, Marcos, Evandro e Edgar

Necrotério: Emerson, Marcos, Evandro e Edgar

A banda Necrotério é a maior representante do metal extremo paranaense, quando se trata de temática splatter/gore. Com pouco mais de vinte anos de estrada, os carniceiros de Colombo-PR estão com nova formação, CD prestes a ser lançado e muito gás para o próximo ano. confira abaixo a entrevista exclusiva que fizemos com o guitarrista e fundador Marcos “Sabugo” Lima:

Nos últimos anos vocês fizeram algumas apresentações esporádicas, mas nada mais que isso. Como está o Necrotério atualmente?
Marcos Lima: Continuamos com todo gás e ensaiando sempre, mas estas poucas apresentações se devem ao fato de que nós cobramos cachê, custos de viagem, etc. Todo mês recebemos vários convites pra tocar em várias cidades do Brasil, mas na hora de acertar os valores é sempre a mesma coisa: “não temos condições blá blá blá… E tem muita banda boa por ai que não cobra nada, então fica mais fácil para os produtores. E ainda tem essa enxurrada de banda gringas vindo para o Brasil com cachês acessíveis, o que é ótimo pra cena metal, mas aí as bandas locais abrem as pernas para o glamour de tocar com estas bandas, algumas até pagam para abrir os shows delas e ai fica difícil. É um prazer imenso fazer shows, más temos que nos valorizar. Nós temos uma historia de mais de vinte anos, e quem nos apóia conhece bem. Nós não abrimos mão, pois temos nossos trabalhos e famílias pra cuidar. O foda é que o cachê é praticamente uma ajuda de custos pra manter a banda, mas seguimos em frente sempre esperando o melhor, pois temos orgulho da nossa história, e temos a consideração de muitos fans pelo mundo.

Vocês estão gravando um novo CD? Onde está sendo gravado? Já tem nome? Arte da capa? Quantas músicas? Nome de algumas delas?
O novo álbum está pronto e foi gravado em Colombo no estúdio RG, que pertence a um grande amigo nosso. Um estúdio simples mas de um cara muito competente. A arte, assim como no CD Rotten Pile of Dead humans (), está a cargo do Anderson L.A. (Natureza Morta), um excepcional artista, que já produziu capas de outros nomes do metal curitibano e em primeira mão divulgo aqui o nome do nosso novo CD: ” GORY VISIONS AND HALLUCINATIONS”, que terá onze faixas e já tem uma previa da música “Marching to Annihilation” sendo divulgada no YouTube. “Carnivores” e “Psicho Murderer” são alguns outros títulos de músicas do CD.

Pretender gravar um novo clipe para alguma delas?
Sim pretendemos, mas vamos esperar a vendagem do novo álbum pra poder produzir o clipe, porque infelizmente pela grana curta não da pra fazer tudo de uma vez.

O seu CD será lançado por algum selo, ou será distribuído de forma independente?
 A principio vai ser independente, depois se alguém tiver interesse em produzir uma tiragem maior, estaremos abertos a negociações.

Quem está no vocal e no baixo atualmente? Há quanto tempo estão na banda? Participaram da gravação do CD?
O atual baixista chama se Edgar Mol, da extinta “Stegomya (splatter)”, que está há dois anos na banda. O vocal é do Evandro Maidl (ex-baixista da Necrotério) e que gravou os vocais do novo álbum. Ele também é vocalista da banda ”Kaapora (Alemanha)” onde reside atualmente. Ele é substituído pelo vocalista e grande amigo “Mano Mutilated” (Hecatomb (R.I.P.) e atual Formulae), que nos ajuda a manter a banda ativa aqui no Brasil.

Quais as maiores diferenças que vocês percebem do metal extremo atual, comparado com os anos 90?
São varias as diferenças que gostaria de citar, mas para não me estender muito, para mim a principal delas é a informação! Na nossa época, tínhamos que correr atrás das bandas que queríamos. Discos eram muito caros e raros, um comprava e o resto fazia copia em fita k-7. Também tinha o intercâmbio das demo tapes. Depois melhorou. Vieram os CDs, que viabilizaram a gravação de muitos títulos e bandas underground, que é o nosso caso. Mas mesmo assim, para divulgar ou ter contato com outras bandas era através de flyers e dos fanzines. Para fazer shows tinha que correr a cidade pra colar os cartazes. Depois da internet, melhor ainda! acesso fácil a tudo. Mas vem tudo mastigado, acho que se perdeu um pouco da essência.

Atualmente vemos bandas muito mais populares usando elementos do metal extremo em geral. A temática gore, assim como a temática do death metal, foram banalizadas?
Isso sempre existiu e sempre vai existir: Alguém fazendo uma “roupagem nova”, misturando coisas aqui e ali dizendo que é evolução musical ou do estilo musical. Tem muito produtor louco pra ganhar dinheiro montando bandas e colocando um visualzinho novo, um cabelinho diferente, etc. Mas tudo isso faz parte do processo, não acredito que o death ou o metal em geral estejam banalizados, acho que é um turbilhão de informação na cabeça da gurizada, causando uma confusão imensa. O importante é cada um fazer sua parte dentro do seu contexto, porque existe espaço pra todos e não perco meu tempo com isso. Apenas oriento a gurizada que o metal é o melhor caminho.

Qual o momento mais marcante da carreira do Necrotério?
O lançamento de cada álbum é um momento marcante, porque é um pouco de história sendo feita, nossa marca no mundo, por mais pequena que seja. As turnês pela America do sul e Europa também foram especiais. Mas mais especial foi subir no palco em um show que fizemos no Moinho São Roque (Curitiba) em 2003, e ver o publico gritando Necrotério varias vezes. Percebi que temos grande relevância na nossa cena metal, e isso me orgulha muito. E isso está registrado em DVD (A Decade of Laceration: 10 Splattered Years Live, de 2003).

Ainda sobre esse tempo de “hibernação” da banda: Como foi a resposta do público nos shows que vocês fizeram?
Excelente como sempre. Temos um publico fiel que nos apoia muito, e a maioria sempre cobra um álbum novo da banda etc. E também é um publico que se renova com o passar dos anos.

Como foi a participação no Armageddom Metal Festival?
Foi muito importante para a exposição da banda. Um festival com grandes nomes do metal nacional e mundial que nos colocou novamente em evidência e espero que surjam novos convites para estes grandes festivais.

Tem planos para 2015? Já tem shows marcados?
Além do lançamento do novo álbum, estamos preparando um CD comemorativo dos 20 anos da banda. Uma coletânea das demos, musicas dos CDs, músicas ao vivo e até inéditas. Shows já temos marcado em Curitiba, dia 23 de janeiro, no aniversario da Damar Productions, com Krisium, Zombie Cookbook e Crunch Delights.

Espaço da banda:
Primeiramente agradecer a você Buga “Curitiba Underground”, mais uma vez pelo apoio e consideração e por nos proporcionar esta oportunidade de divulgar e informar aos fans da Necrotério. Agradecer também ao Júnior “Lets Rock” e Renato “Thrash Tattoo Supply” pelo apoio e parceria. Aos fans obrigado pela força Stay Brutal!!!

Formação atual:

Marcos Lima (guitarra), Emerson Lima (bateria), Edgar Mol (baixo), Evandro Maidl (gravação), Ulisses Mano (vocal ao vivo).

Discografia completa:

Necrotério Demo 1994
Necrotério Demo 1995
Host Horror Demo 1996
Putrid Glory Demo 1998  
Lament of Flesh Full-length 1999  
A Rotten Pile of Dead Humans Full-length 2002  
A Decade of Laceration: 10 Splattered Years Live Video 2004

Escute abaixo a faixa “Marching to Anihillation”, que estará presente no novo CD do Necrotério!

Underground TV
Proximo Evento